SEJAM BEM VINDOS! A terra é uma só. A humanidade é uma só. A FELICIDADE é uma só.

Posts tagged ‘amor’

Carta de Einstein à sua filha datada de 1951 – Qual a relação da carta com a felicidade da humanidade?

Uma relíquia histórica encontrada no fundo de um pesado cofre na sala da direção de uma escola, em Porto Alegre, vem animando os alunos e alimentando a curiosidade sobre física. Ninguém menos que Albert Einstein assinou e datilografou a carta com uma mensagem endereçada aos estudantes do Colégio Anchieta, tradicional escola porto-alegrense.

Datada de 24 de junho de 1951, a correspondência foi trazida a Porto Alegre pelo então diretor e padre Gaspar Dutra, que passava uma temporada de estudos nos Estados Unidos. Naquele dia, o brasileiro teve um encontro com o célebre físico alemão na Universidade de Princeton, na cidade norte-americana de Nova Jersey.

“Quem conheceu a alegria da compreensão conquistou um amigo infalível para a vida. O pensar é para o homem, o que é voar para os pássaros. Não toma como exemplo a galinha quando podes ser uma cotovia”, escreveu Einstein, em alemão, endereçando aos “estudantes do Colégio Anchieta”. A  carta chegou ao Brasil acompanhada de uma foto exclusiva feita pelo fotógrafo Marcel Sternberger.

Para redimir quaisquer dúvidas, uma grafologista foi contratada e acabou verificando a autenticidade do documento, ao comparar a assinatura contida na carta com uma amostra cedida pelo Instituto Oswaldo Cruz, o qual Einstein visitou na década de 1920.

Carta de Einstein à sua filha Lieserl

O AMOR

Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam e o que vou agora revelar a você, para que transmita à humanidade, também chocará o mundo, com sua incompreensão e preconceitos.
Peço ainda que aguarde todo o tempo necessário — anos, décadas, até que a sociedade tenha avançado o suficiente para aceitar o que explicarei em seguida para você.
Há uma força extremamente poderosa para a qual a ciência até agora não
encontrou uma explicação formal. É uma força que inclui e governa todas as outras, existindo por trás de qualquer fenômeno que opere no universo e que ainda não foi identificada por nós.
Esta força universal é o AMOR.
Quando os cientistas estavam procurando uma teoria unificada do Universo esqueceram a mais invisível e poderosa de todas as forças.
O Amor é Luz, dado que ilumina aquele que dá e o que recebe.
O Amor é gravidade, porque faz com que as pessoas se sintam atraídas umas pelas outras.
O Amor é potência, pois multiplica (potencia) o melhor que temos, permitindo assim que a humanidade não se extinga em seu egoísmo cego.
O Amor revela e desvela.
Por amor, vivemos e morremos.
O Amor é Deus e Deus é Amor.
Esta força tudo explica e dá SENTIDO à vida. Esta é a variável que temos
ignorado por muito tempo, talvez porque o amor provoca medo, sendo o único poder no universo que o homem ainda não aprendeu a dirigir a seu favor.
Para dar visibilidade ao amor, eu fiz uma substituição simples na minha
equação mais famosa.

Se em vez de E = mc², aceitarmos que a energia para curar o mundo pode ser obtido através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado (energia de cura = amor x velocidade da luz ²), chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limites.
Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do
universo, que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia. Se queremos que a nossa espécie sobreviva, se quisermos encontrar sentido na vida, se queremos salvar o mundo e todos os seres sensíveis que nele habitam, o amor é a única e a resposta última.
Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, uma criação suficientemente poderosa para destruir todo o ódio, egoísmo e ganância que assolam o planeta. No entanto, cada indivíduo carrega dentro de si um pequeno, mas poderoso gerador de amor, cuja energia aguarda para ser libertada.

Quando aprendemos a dar e receber esta energia universal, Lieserl querida, provaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.
Lamento profundamente não ter sido capaz de expressar mais cedo o que vai dentro do meu coração, que toda a minha vida tem batido silenciosamente por você. Talvez seja tarde demais para pedir desculpa, mas como o tempo é relativo, preciso dizer que te amo e que a graças a você, obtive a última resposta.
Seu pai,
Albert Einstein

Anúncios

Ame a si mesmo – o amor é o alimento da alma. Assim como a comida é para o corpo, o amor é para a alma.

O amor-próprio

Amar a si mesmo é um requisito fundamental para que o ser humano possa vivenciar a felicidade. Embora tenhamos aprendido que a autoestima é individualista e egoísta, ela é essencial para que possamos nos expor ao mundo com coragem e confiança.

Aquele que não ama a si próprio, não reconhece em si qualidades e talentos e se acha inferior ao resto do mundo, dificilmente conseguirá amar verdadeiramente o outro, pois seu amor será sempre revestido de medo.

Quando não nos amamos, tememos que o outro descubra que não somos bons o suficiente para merecer seu amor e nos empenhamos desesperadamente em satisfazer os seus desejos, como forma de garantir a afeição que ele sente por nós.

Esta consciência só nasce a partir de uma profunda reflexão acerca de nossas qualidades e defeitos e do entendimento de que somos únicos e especiais, não importa o quanto tenhamos errado ou nos desviado da Verdade.

Sempre é tempo de recuperamos a nossa autoestima se reconhecermos que os erros são fundamentais em nosso processo evolutivo. Se formos capazes de nos amar apesar de nossos fracassos, certamente estaremos nos dando a oportunidade de trilhar novos caminhos e descobrir em nós poderes até então desconhecidos.

AME A SI MESMO E OBSERVE
Osho, você pode falar alguma coisa sobre essas belas palavras de Buda:
“Ame a si mesmo e observe – hoje, amanhã, sempre”?

“Ame a si mesmo”…
O amor é o alimento da alma. Assim como a comida é para o corpo, o amor é para a alma. Sem comida o corpo enfraquece, sem amor a alma enfraquece.
….O amor lhe faz rebelde, revolucionário. O amor lhe dá asas para voar alto. O amor lhe dá insight nas coisas, assim ninguém pode lhe enganar, lhe explorar, lhe oprimir.
…. O amor nada sabe de dever. Dever é um fardo, uma formalidade. Amor é uma alegria, um compartilhar; o amor é informal. O amante nunca sente que ele fez o bastante; o amante sempre acha que mais é possível. O amante nunca sente, ‘Eu favoreci o outro’. Pelo contrário, ele sente, ’Devido a que meu amor foi recebido, estou agradecido. O outro me favoreceu por receber meu presente, não o rejeitando’..

…Um homem que ama a si mesmo respeita a si mesmo e um homem que ama e respeita a si próprio respeita os outros também, porque ele sabe, ‘Assim como eu sou, os outros também são. Assim como gosto do amor, respeito, dignidade, os outros também gostam’. Ele se torna cônscio de que não somos diferentes, no que diz respeito ao essencial, nós somos um. Estamos debaixo da mesma lei: Es dhammo sanantano

O homem que ama a si mesmo desfruta tanto do amor, se torna tão contente, que o amor começa a transbordar, começa a alcançar os outros. Tem que alcançar! Se você vive o amor, você começa a compartilhá-lo. Você não pode continuar a amar a si mesmo para sempre porque uma coisa ficará absolutamente clara para você: que se amando uma pessoa, você mesmo, é um êxtase tão tremendo e tão belo, tanto mais êxtase está esperando por você se você começar a compartilhar seu amor com muitas pessoas!
Lentamente as ondulações começam a se expandir cada vez mais longe. Você ama outras pessoas; então você começa a amar os animais, os pássaros, as árvores, as pedras. Você pode preencher todo o universo com o seu amor. Um simples indivíduo é suficiente para encher todo o universo com amor, assim como um simples seixo pode encher todo o lago de ondulações – um pequeno seixo.

… Digo que esse é um dos mais profundos sutras de Buda, e só uma pessoa desperta pode lhe dar um tal insight. A pessoa que ama a si própria pode facilmente se tornar meditativa, porque meditação significa estar consigo mesmo.
Se você odeia a si mesmo – como você faz, como foi dito a você para fazer, e você tem seguido isso religiosamente – se você odeia a si próprio, como é que você pode ficar consigo mesmo? A meditação não é outra coisa senão desfrutar de sua bela solitude e celebrar a si próprio. Eis o que é toda a meditação.

A meditação não é um relacionamento. O outro não é absolutamente necessário; somos suficientes para nós mesmos. Somos banhados em nossa própria glória, banhados em nossa própria luz. Estamos simplesmente alegres porque estamos vivos, porque somos.
O maior milagre do mundo é que você é e que eu sou. Ser é o maior milagre e a meditação abre as portas desse grande milagre. Mas só o homem que ama a si próprio pode meditar; do contrário você está sempre fugindo de si mesmo, evitando a si mesmo. Quem quer olhar para um rosto feio e quem quer penetrar num ser feio?

Quem quer se aprofundar na própria lama, na própria escuridão? Quem vai querer entrar no inferno que pensam que estão? Você quer manter essa coisa toda coberta com lindas flores e você vai querer sempre fugir de si mesmo.
Desse modo as pessoas estão continuamente procurando companhia. Elas não podem ficar consigo mesmas; elas querem estar com os outros. As pessoas estão buscando qualquer tipo de companhia; se eles puderem evitar a companhia de si próprios qualquer coisa servirá

… O amor começa com você mesmo, assim ele pode se espalhar. Ele vai se espalhando a sua própria maneira; você não precisa fazer nada para espalhá-lo.
Ame a si mesmo… “Diz Buda. E então imediatamente ele “acrescenta:… ”e observe”. Isso é Meditação, esse é o nome de Buda para a meditação. Mas a primeira condição é amar a si mesmo, e então observe.
Sócrates diz: Conhece a ti mesmo, Buda diz: Ame a si mesmo. E Buda é muito mais verdadeiro porque a menos que você ame a si próprio você nunca conhecerá a si mesmo – conhecer só vem mais tarde, o amor prepara o terreno. Amar é a possibilidade de conhecer a si mesmo. O amor é a maneira certa de conhecer a si mesmo.
Ame a si mesmo e observe… hoje amanhã, sempre.
Crie energia ao redor de si mesmo. Ame seu corpo e ame sua mente. Ame todo seu mecanismo, todo seu organismo. Por amar significa: aceitar isso como isso é, não tente reprimir. Nós reprimimos somente quando odiamos alguma coisa, reprimimos somente quando somos contra alguma coisa. Não reprima porque se você reprimir como é que você vai observar?
…Se você não for um amante de si mesmo você não será capaz de olhar nos seus próprios olhos, na sua própria face, na sua própria realidade.
Observar é meditação, o nome de Buda para a meditação. Observe, diz Buda. Ele diz: Esteja cônscio, alerta, não fique inconsciente. Não se comporte como que dormindo. Não continue funcionando como uma máquina, como um robô. É assim que as pessoas estão vivendo.
Observe – apenas observe. Buda não diz o que deve ser observado – tudo! Caminhando, observe o seu caminhar. Comendo, observe o seu comer. Tomando banho, observe a água, a água fria caindo sobre você, o toque da água, a frieza, o arrepio que dá na sua espinha – observe tudo, “hoje, amanhã, sempre”.

… Quando você se torna mais alerta você começa a criar asas – então todo o céu lhe pertence. O homem é um encontro da terra com o céu, do corpo e da alma.
Osho, Extraído de: The Way of the Buddha: The Dhammapada

PARTICIPE DA NOSSA CAMPANHA NO FACEBOOK:

 Felicidade não é TER, é SER!

As PESSOAS FELIZES fazem com que os outros também se sintam assim, seja no trabalho, nas amizades ou nos relacionamentos amorosos, enquanto AS INFELIZES acabam se PREOCUPANDO APENAS COM ELAS MESMAS.

Não coloque a sua felicidade no TER, no EU TENHO, procure em seu dia a dia não depender de ter algo ou alguém para ser feliz, isso é passageiro, além de a sua felicidade ficar sempre no futuro, manifeste em sua vida tudo aquilo que lhe faça expressar o seu SER, o EU SOU, que é lembrança e eterno.

A FELICIDADE é GENEROSA.

COMPARTILHE-A!

andrea-taiyoo-sol12menor.jpg

As Leis do Amor

O amor tem suas próprias leis e se não estivermos dispostos a segui-las dificilmente conseguiremos alcançar a tão sonhada felicidade.

Uma das principais leis do amor diz respeito ao fato de que ele deve ser dado sem esperar nada em troca. Quantas pessoas são capazes de continuar a amar alguém sem que sejam correspondidas?

É claro que o ideal do amor é a reciprocidade, mas nem sempre o outro pode nos dar aquilo que esperamos dele. O ego faz com que sentimentos como a raiva, o ressentimento e o desejo de vingança substituam o amor quando este é contrariado ou deixa de existir por parte do ser amado.

Mas se estivermos dispostos a mudar esta regra e guiar-nos por uma dimensão mais elevada do nosso ser, mesmo que nosso desejo pelo outro seja contrariado, podemos cultivar uma dimensão superior do amor, que consiste em querer o melhor para aquela pessoa, ainda que não seja ao nosso lado. Este é um grande desafio para aqueles que desejam sair-se vencedores na luta contra a negatividade e o egoísmo.

Outra lei básica do amor é a liberdade. Se você ama alguém, deixe-o livre, não queira controlá-lo ou determinar o que ele pode ou não fazer. Este é o caminho mais rápido para afastar a quem você ama.

Quem não consegue amar sem o desejo de controlar o outro, está infringindo outra lei do amor que é a confiança. Sem ela, o amor jamais poderá subsistir, e se tornará cada dia mais frágil.

Outra importante lei do amor é a lealdade. Se eu amo alguém é imprescindível que eu seja leal a esta pessoa, não a desrespeite e não aja de modo a trair o pacto de sinceridade que está implícito em qualquer relacionamento de amor que se estabelece entre duas pessoas.

Para que possamos vivenciar estas leis em toda a sua plenitude, é necessário que as tenhamos plenamente integradas em nosso próprio interior. Caso contrário, seremos presas fáceis de relacionamentos onde a maioria destas leis ou a totalidade delas é desrespeitada por nós ou por nossos parceiros, e os sentimentos de medo e insegurança farão com que permaneçamos nestes relacionamentos, negando-nos qualquer chance de experimentar a real, profunda e verdadeira dimensão do amor.

… Você ama uma pessoa e a pessoa ama você. Um dia, você o vê sendo atraído por uma outra mulher… Aí a comparação começa. Então ele está deixando você? Então ele encontrou alguém que é melhor que você? Então ele encontrou alguém que é mais bela que você?
Você pode não perceber muito claramente, mas é exatamente isso que cria o ciúme: essa idéia que alguém pode ser melhor, que alguém pode ser mais bela, que alguém pode atrair o seu parceiro mais do que você mesma. Isso cria uma sensação interna de inferioridade e você começa a sentir ciúme. Você criará todos os tipos de obstáculos possíveis para destruir essa possibilidade.

Não ter qualquer ciúme só é possível quando você vier a aceitar a si mesma tão completamente que não exista mais qualquer comparação, quando você não se comparar com mais ninguém. Mesmo se o seu namorado se aproximar de alguma outra pessoa, isso não criará qualquer comparação. É apenas o simples fato de que ele se tornou atraído por aquela mulher. Isso não lhe traz nenhum conflito com a outra mulher, isso não diz respeito a você. Isso diz respeito ao homem, nada a respeito de você, isso não se refere a você, absolutamente.

Mas isso só é possível quando você se tornar tão integrada que você pode viver sem um namorado, você pode viver sem estar sendo amada e ainda assim se sentir tão feliz quanto se sente sendo amada; quando o amor não for mais uma necessidade, mas simplesmente uma alegria. Se você está sendo amada, tudo bem. Se você não está sendo amada, tudo está perfeitamente bem. Você não está atrás disso. Não há qualquer ego carente e você não faz disso uma viagem de ego.

Quando o amor não é uma busca, não é uma necessidade, mas um compartilhar, ele tem uma tremenda beleza.; Aí, ninguém estará preocupado se ele vai ou não durar para sempre. Se ele acontecer apenas por este momento já será ótimo, a pessoa compartilha. Se amanhã você encontrar de novo com esse homem e ele estiver pronto para se encontrar com você, você compartilha novamente, caso contrário, dê um tchau. Agradeça a ele porque houve um momento em que você compartilhou e foi um momento feliz e você não quer fazer disso uma coisa permanente.

A idéia de fazer alguma coisa permanente surge apenas porque você está movida pela necessidade. Você está com medo, esse homem deu felicidade a você e amanhã, se ele disser não, você ficará de novo infeliz. Assim, você procura dar um jeito para que amanhã ele não possa escapar. Tranque a porta! Mas uma vez que a porta esteja trancada, aquela energia não estará mais presente, nem mesmo neste exato momento, porque o amor acontece apenas em liberdade.

Um dia, através do aprendizado, experimentando muitos relacionamentos, a pessoa se torna madura. Então o ciúme desaparece. Então você estará simplesmente feliz se esse homem vier e compartilhar a sua energia com você, ou se ele quiser compartilhar com alguma outra pessoa, você estará feliz. Essa é a liberdade dele, você nada tem a ver com isso. Somente nós somos os mestres de nós mesmos e ninguém mais deve pretender ser o mestre de outras pessoas. Quando a liberdade é deixada intacta, o amor cresce infinitamente.

Osho

PARTICIPE DA NOSSA CAMPANHA NO FACEBOOK:

 Felicidade não é TER, é SER!

As PESSOAS FELIZES fazem com que os outros também se sintam assim, seja no trabalho, nas amizades ou nos relacionamentos amorosos, enquanto AS INFELIZES acabam se PREOCUPANDO APENAS COM ELAS MESMAS.

Não coloque a sua felicidade no TER, no EU TENHO, procure em seu dia a dia não depender de ter algo ou alguém para ser feliz, isso é passageiro, além de a sua felicidade ficar sempre no futuro, manifeste em sua vida tudo aquilo que lhe faça expressar o seu SER, o EU SOU, que é lembrança e eterno.

A FELICIDADE é GENEROSA.

COMPARTILHE-A!

andrea-taiyoo-sol12menor.jpg

God is love and joy

deuseamorealegria

God is love and joy, and one that expresses your inner love in everything you do, always happy.

Dios es amor y alegría, y uno que expresa su amor interno en todo lo que hagas, siempre feliz.

momentos3

Felicidade não é TER é SER por Andrea Taiyoo

outdoorblog

A verdadeira felicidade só pode SER SENTIDA e não possuida TER.

Se a cada momento você deparar com algo que vai precisar colocar o verbo ter, isto é, houver algo que expresse uma posse, você não será feliz; ficará, no máximo, contente.

SER  é eterno, lembrança.

TER é passageiro, efêmero.

Por exemplo: TER um carro não significa felicidade, mas SER o viajante e planejar o destino significa.

TER dinheiro para comprar o que quiser não significa necessariamente felicidade. Mas SER aquele que ajuda o próximo é.

TER vontade, não é o mesmo que SER capaz.

TER uma companhia não é o mesmo de SER um companheiro, é mais do que isso, é compartilhar.

TER um filho, não significa SER pai. Você pode SER pai sem que o filho seja seu.

Não precisa TER amigos, precisa SER bom ouvinte de pessoas; SER presente; SER um ombro, SER um bom cidadão.

TER diploma, TER cultura, não é SER culto.

Você expande sua alma quando sente que pode SER mais do que alguém que sabe o que diz, aliás, que pode SER admirado por isso.

TER condições financeiras para comprar uma boa casa, não garante que o ambiente venha a SER bem frequentado 0 agradável .

Assim, em sua vida, você vai deparar com momentos em que você pode TER algo. Reflita se aquilo que você vai TER será capaz de SER algo que lhe trará lembranças boas, capazes de se transformar em experiências, em algo que lhe traga uma boa sensação, um prazer que incorpora no fundo de sua alma e lhe faz suspirar.

TER dinheiro não significa SER saudável. Igualmente TER saúde não significa SER saudável, pois a expressão de saúde vai além daquilo que é físico, ou seja é uma sensação.

Por isso, procure em sua vida tudo aquilo que lhe faça expressar o SER,

o EU SOU e não EU TENHO!

Não compre coisas para TER, compre a experiência de SER.

SER SUSTENTÁVEL

SER  O MELHOR PAI

SER A MELHOR MÃE

SER RESPEITADO

SER SINCERO

SER GRATO

SER  HUMILDE

SER PACIENTE

SER CARINHOSO

SER AMOROSO

SER GENEROSO

SER TOLERANTE

SER AMÁVEL

SER FIEL

SER AMIGO

SER FAMÍLIA

…  ENFIM SER FELIZ

Campanha: Felicidade não é TER é SER – Idealizadora Andrea Taiyoo

TEMA da Campanha:

“Felicidade não é TER, é SER”

SER amigo, SER o melhor pai, ser a melhor mãe, SER companheiro, SER sincero, SER gentil, SER família… SER, FELIZ!

ANDREA TAIYOO SOL

A Campanha, Felicidade não é TER, é SER! Como itinerário de conversão pessoal, comunitário e social; nesse tempo de mudança de época, deseja fazer com que as pessoas parem para REFLETIR:  se o objetivo comum de toda a humanidade é SER feliz, porque poucos alcançam esse objetivo, estarão talvez no caminho contrário a felicidade? Provavelmente, afinal cada dia que passa  estão aumento os números de pessoas infelizes no mundo, segundo dados da OMS, a depressão será uma das doenças que mais vai matar em todo o  mundo nos próximos 20 anos, o que faz dela um grande inimigo para qualquer um de nós. Uma pesquisa recente mostra que aproximadamente 400 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo e cerca de 850 mil pessoas morrem  por ano vitímas de suicidos devido a essa doença.

1.      Campanha: “Felicidade não é Ter, é SER”, se propõe olhar a realidade das pessoas,  acolhendo-as com a riqueza de suas diversidades, propostas e potencialidades; entendê-las e auxiliá-las neste contexto da busca pela felicidade, fazer-se solidária em seus sofrimentos e angústias.
 

2.      Esta Campanha deseja orientar e conscientizar um maior número possível de pessoas,  que a verdadeira felicidade não estar em no que EU TENHO, mas sim no que EU SOU.

3.     A fim de se solidarizarem com estas pessoas, favorecer-lhes informações, palestras e políticas públicas que possam auxiliá-las a organizarem a própria vida a partir de escolhas fundamentais e de uma construção sólida de uma mudança pessoal na forma de pensar e de agir.

Objetivo geral

Despertar nas pessoas a necessidade de que para SER FELIZ é preciso uma mudança de paradigma, no que se refere a felicidade. Uma pesquisa feita por uma empresa de investimentos internacional ouviu cinco mil pessoas em 13 países, inclusive o Brasil. Aqui, 93% dos entrevistados afirmaram que dinheiro traz felicidade e que seriam felizes se ganhassem 24.000,00 por mês . Se o resultado da pesquisa estiver certo, menos de 1% da população brasileira é feliz.  Todo mundo deseja SER feliz, ou deseja que seu filho SEJA feliz, mas quantos na verdade são realmente felizes, poucos, certo? Onde esta o erro?  Através dessa  campanha  pretendemos fazê-los refletir e  perceber que estão no caminho contrário a verdadeira felicidade, e que só eles são capazes de tornarem-se felizes , para isso não devem colocar a sua felicidade no futuro no TER e sim no SER no presente. Um dos grandes vilões da infelicidade do ser humano é a sociedade consumista , materialista e descartável, em que vivemos, que incentiva através das mídias, que a felicidade estar no ter, aumentando assim suas vendas.

Objetivos específicos

1.   Propiciar as pessoas um encontro pessoal  com elas mesmas e com a espiritualidade, através do autoconhecimento a fim de contribuir para sua verdadeira felicidade.

2. Possibilitar as pessoas uma participação ativa na comunidade em que vivem, reciclando, reutilizando, reduzindo , zelando e preservando  o meio ambiente em que vivem.

3. Sensibilizar as pessoas para serem agentes transformadores da sociedade, protagonistas da civilização da felicidade, do amor e do bem comum.

As PESSOAS FELIZES fazem com que os outros também se sintam assim, seja no trabalho, nas amizades ou nos relacionamentos amorosos, enquanto AS INFELIZES acabam se PREOCUPANDO APENAS COM ELAS MESMAS. A FELICIDADE é GENEROSA.
COMPARTILHE-A!
 
SER FELIZ  é o CAMINHO para a SALVAÇÃO DAS PESSOAS.
Se todos formos felizes, não haverá mais discórdia, ódio, guerras,  inveja, desamor e tantos outros sentimentos menores encontrados em qualquer ser humano.  

IDEALIZAÇÃO:

logoreciclando

 

 

 

AUTOMOTIVAÇÃO

Um bom profissional, não é feito só de conhecimento técnico, mas de habilidades e competências que não se aprende nos bancos escolares, se desenvolve com a experiência. E é interessante que estas competências são úteis para todos os profissionais.
 
Uma dessas habilidades é a inteligência emocional, que entre outras coisas envolve a automotivação (ou seja, motivar a si mesmo). Essa habilidade não é importante somente no ambiente corporativo mas, em todos os campos da sua vida.
 
Por que a automotivação é importante? 
De maneira bem simples, eu diria que é para o bem da sua saúde, para que você permaneça trabalhando com alegria e tenha vontade de acordar todos os dias de manhã e ir para seu trabalho.
 
Porque é necessário desenvolver esta habilidade? 
Uma das razões é porque nem sempre somos reconhecidos como deveríamos ou esperávamos. Nesses casos, não desanime! Lembre que nem Jesus agradou a todos… e se você olhar bem a sua volta, garanto que encontra alguém em situação pior… alguém desempregado por exemplo.
 
automitivaçao
 
 
 
Trabalhar automotivado aciona um grande poder de realização. Porque é mais fácil criar; é mais fácil fazer o que precisa ser feito aqui e agora; é mais fácil espalhar entusiasmo. Apenas uma pessoa trabalhando automotivada já contagia muita gente à sua volta, gerando resultados sinérgicos.

Quando uma empresa tem várias pessoas agindo assim seguramente se mantém na liderança. Há inúmeros exemplos comprovando isso. Afinal, quem faz diferença nas empresas são as pessoas — e quanto mais automotivadas, mais benefícios agregam aos colegas, aos fornecedores, aos clientes, aos acionistas e até mesmo aos familiares e à comunidade.

Por que essa equação que parece tão simples, ainda hoje é um grande desafio para muitas empresas?

As causas são complexas, mas vou me ater a aspectos que mobilizam altos investimentos financeiros, mentais, emocionais e geram resultados apenas instantâneos. Boa parte das lideranças não entende que o motivo para ação de hoje não é o mesmo de 30 anos atrás. Podem até estar conscientes que motivação quer dizer motivo para a ação . Porém muitos líderes continuam motivando equipes baseando-se em velhos paradigmas do tipo toma-lá-dá-cá ou do tipo ausências de punição . É fácil reconhecer esse estilo de liderança motivadora. São pessoas que se dedicam quase que exclusivamente a criar mirabolantes promoções para atingir metas. Aos vencedores tudo: bônus, títulos, brindes – e mais metas desafiadoras! E sempre coroado por eventos caríssimos, enquanto duram os bons resultados empresariais. Basta virar a maré e o discurso muda para motivações do tipo: ainda bem que estamos empregados! Vocês não imaginam o esforço que estamos fazendo para segurar todo mundo, mas se a situação não mudar… É claro que quando todas as ações motivadoras não geram melhores resultados, ele, o líder, põe a culpa na sua equipe, no mercado. E a automotivação resulta em salvar a própria pele.

 A motivação é a mais antiga e permanente preocupação dentro das organizações, mas outra ação equivocada é quando ela é decidida de cima para baixo e realizada de fora para dentro. Quando os líderes resolvem fazer alguma coisa, optam por algum evento formatado, quase sempre, de maneira antiga. Ok, convenções, eventos e ações motivacionais são importantes, necessárias, mas precisam ser estruturadas de maneira integrada, orgânica; não compartimentada, e não por prioridades que começam sempre com um assunto espinhoso, passam por outros temas enfadonhos para, finalmente, desaguar para o engraçado, o lúdico – a palestra motivadora.

 E não dá para acreditar que apenas um evento seja suficiente para motivar o pessoal durante todo o ano. Hoje a carga de informações é tão grande que um evento ocorrido em fevereiro vira uma vaga lembrança alguns meses depois. Não estou sugerindo mais eventos, mas propondo uma nova postura das lideranças no dia-a-dia com suas equipes. As ações motivacionais devem estar presentes todos os dias. Para isso acontecer em plenitude os líderes precisam aprender a se conhecer – o que fazem de bom e o que fazem de ruim (mais difícil de aceitar)— pois só assim também conhecerão mais profundamente suas equipes e suas verdadeiras motivações.

Atualmente quem necessita de contínuo treinamento são os líderes, para se alinharem com mais facilidade às exigências do terceiro milênio. “Quando você muda, tudo à sua volta muda”. As mudanças são sempre de dentro para fora — se os líderes mudam atitudes, ampliam compromissos, isso já impactará nas equipes, sejam compostas por subordinados diretos ou indiretos. Por que, de fato, ninguém motiva ninguém de fora para dentro. É uma falsa motivação – superficial. Hoje, se busca ação motivacional mais profunda nos treinamentos, para despertar a automotivação E para ser automotivado há a necessidade de alinhar a alma, o coração e a razão. O que faz está alinhado com seu propósito de vida? Onde de fato seu trabalho agrega valor e gera entusiasmo? São perguntas importantes para serem respondidas e que ampliam significativamente resultados profissionais, pessoais e repercutem positivamente nos negócios, na família e na sociedade. Sabe por que? Trabalhar automotivado aciona um grande poder de realização – nas lideranças e equipes.

%d bloggers like this: